Prefeito em exercício de Macaubal, Fred Braguini, avalia seu governo

Prefeito em exercício de Macaubal, Fred Braguini, avalia seu governo




Durante esta semana o prefeito em exercício de Macaubal, Fred Braguini, 33 anos, solteiro, estudante do 5º ano de direito, que está em seu segundo mandato como vereador e atualmente é o presidente eleito da Câmara Municipal, nos recebeu para falar sobre o período em que está à frente da prefeitura de Macaubal, “como era um mandato tampão, priorizamos manter o pagamento do funcionalismo e as contas desta administração em dia, manter os serviços essenciais, detectar a real situação da prefeitura e atender as demandas conforme elas foram aparecendo”, explica.

Dentre as realizações que lhe proporcionou maior prazer ele destaca a instalação dos brinquedos nos parquinhos infantis do município, “são brinquedos que eu brinquei quando criança e que estavam abandonados em um galpão desde a venda do terreno em que estavam instalados. Em uma força tarefa, fizemos os reparos necessários e os instalamos nos parquinhos existentes e é um prazer enorme, ao final da tarde, você passar por estes locais e ver a criançada brincando, também iluminamos estes locais, que ficam nas duas Coab´s da cidade”, enfatiza ele.

Quanto aos problemas enfrentados administrativamente, ele destaca as pendências deixadas pelo ex-prefeito cassado e que foram descobertas durante o mandato, “por exemplo fomos pleitear uma benfeitoria junto a Elektro e constatamos que o município tinha mais de R$ 1,077.016,00 mi em contas de energia em aberto, desde o mês 10/2017 ele deixou de pagar a energia do município, o parcelamento anterior vem sendo descontado do FPM todo mês, a partir do momento que assumimos estamos pagando a energia normalmente. Mas para que o problema seja resolvido, será necessário que o prefeito que assumir faça alguns ajustes para a economia de energia.

Outro serviço essencial e que foi reativado é o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU. “Essa era mais uma pendência que descobrimos durante o mandato, no dia 25 de janeiro a prefeitura de Votuporanga notificou que o SAMU não prestaria mais o serviço em nosso município se não fizéssemos a quitação da pendência deixada pelo ex-prefeito cassado, que estava no valor de R$ 229 mil, resultado de um parcelamento feito em 2017 e reparcelado em 2018, que não teve nenhuma parcela paga. O valor mensal pelo serviço é de R$ 5,6 mil. Foram pagos R$ 24,593 mil para voltar os serviços e agora estamos fazendo o pagamento mensal. Na semana seguinte do pagamento, ocorreu uma eventualidade aqui em Macaubal e quem salvou a vida do munícipe foi o SAMU, que é um serviço essencial no município e que se não tivéssemos reativado, talvez tivesse acontecido o pior”, disse.

O município também voltou ao CADIN, “em 2017 o ex-gestor cassado foi notificado de uma pendência junto ao FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), de uma prestação de contas de 2005 referente ao transporte escolar do governo da época, referente ao PNATE (Programa Nacional de Apoio ao Transporte do Escolar), era para ter sido devolvido na época R$ 9,360 mil, em 2017 o valor já estava em R$ 17,988 mil, hoje já está em quase R$ 25 mil e o município está com nome no CADIN de novo. Estamos em contato junto ao FNDE para negociar mais essa pendência, para que o município possa voltar a assinar convênios e receber recursos”, afirma.

Outro problema é a frota municipal, hoje muitos veículos estão sem manutenção e há cerca de R$ 12 mil em multas, “não temos dinheiro em caixa para fazer os reparos e as multas vamos ter que pagar e descontar do funcionário”, explica.

Em contrapartida ela comemora algumas conquistas, “estamos com R$ 500 mil para fazer recapes e outros R$ 405 mil para construção de galerias, quando da cassação do ex-prefeito ele afirmou em informativo que circulou pela cidade que nós vereadores, iríamos ser responsáveis pela perda de R$ 805 mil em convênios, R$ 400 mil de recapes e R$ 405 mil de galerias, o que ocorria é que discordávamos em como seriam aplicados estes recursos, assim que assumimos a Prefeitura, corremos atrás e foram corrigidos os projetos, o recape foram para ruas mais necessitadas e além disto conseguimos agora, outros R$ 100 mil para recapear a Avenida Rio de Janeiro da Cohab 2, que serão licitados no próximo dia 11 e o convênio da galeria foi refeito, várias vezes, cada vez um detalhe novo e fomos atrás e ao invés de 90 metros de galeria, serão feitos 505 metros, o novo projeto inclui a canalização das águas pluviais do Bairro Kalau””, continua o prefeito.

Outro ponto muito discutido durante o processo de cassação é que os funcionários ficariam sem receber, “mas esta previsão não se concretizou, os pagamentos estão em dia, todos receberão o 13º em dia, o parcelamento com o Fundo também está sendo pago corretamente”, destaca Braguini.

Quanto as conquistas para o Município, o prefeito destaca um carro zero km para o Conselho Tutelar, três ônibus Escolares zero km junto ao FNDE, entregues em novembro, janeiro e fevereiro, “estes últimos o dinheiro estava na conta desde junho de 2018 e a gestão da época nem se quer sabia do crédito, foi feita toda documentação em novembro e acabamos recebendo os dois em 2019, e foi nossa salvação porque os antigos precisavam de reparos, daí começamos a usar os novos”, explica o prefeito que lembra ainda a assinatura do convênio junto a FUNASA, no valor de R$ 1,7 mi para a tão almejada Lagoa de Tratamento, “já foi publicado parte do valor no Diário Oficial, temos que apresentar os projetos para liberar os valores, uma obra de extrema importância e que por sua falta estamos com nosso crescimento parado, por exemplo não conseguimos a liberação de nenhum novo loteamento, porque a CETESB não autoriza com a Lagoa que temos hoje”, enfatiza ele lembrando que o Aterro Sanitário está em fase final de documentação junto ao órgão competente.

Braguini destaca ainda outros itens do seu governo, o trabalho desenvolvido por sua irmã, a 1ª dama Joslei Braguini, junto ao Fundo Social, a realização de um bingo beneficente pelo setor social com a participação maciça da comunidade e apoio do comércio, a entrega de uma camiseta para cada aluno da rede municipal de ensino, a compra dos kits escolares que tem 150 dias para ser entregue pela empresa vencedora da licitação, a compra de brinquedos para a EMEI Octávio Dezan Filho, com verba do residual do FUNDEB, a operação tapa-buracos que deve começar em breve, está em fase de licitação da massa asfáltica, a mobilização contra a dengue com a conscientização das crianças, “estamos administrando com economia, com os pés nos freios, não estão sendo realizadas viagens desnecessárias”, destaca ele.

Quanto a experiência em ser prefeito ele resume, “no início assusta, é muita informação de uma vez só, tendo em vista a anormalidade da situação, por isto há algumas faltas, como de uma assessoria, que filtre os problemas antes de chegar até o prefeito, algo que não aconteceria se fosse em um mandato normal, mas não é ruim, com sabedoria dá para resolver, sento e escuto cada um e se estiver ao alcance da administração fazemos, senão encaminhamos, enfim, ser prefeito não é fácil, mas não é uma missão impossível, nossa cidade está carente de união, tem muitas críticas, mas não apontam soluções, desde que entrei na política queria ser prefeito, só não achava que seria assim, e quem sabe, um dia volte a pleitear este cargo, porque tenho consciência que ninguém é vereador ou prefeito, a pessoa está vereador, está prefeito, a pessoa tem que ter respeito ao cargo e a quem o elegeu, ser educado com todos, não misturo minha vida particular com o cargo que exerço hoje, sou a mesma pessoa como antes”, continua ele.

O conselho para o próximo prefeito, “tem que pensar no todo, temos que nos unir na solução dos problemas, fazer o que é de bem comum, ou seja o que vai beneficiar a todos e não só uma parcela da população”, finaliza ele.

Galeria de fotos