Escolas da região recebem homenagem no Parlamento Jovem 2015

Escolas da região recebem homenagem no Parlamento Jovem 2015




Três alunos do ensino médio participaram da edição comemorativa pelos 180 anos da Assembleia Legislativa


Nos dias 05 e 06 de novembro, três alunos do ensino médio de escolas da região estiveram na Assembleia Legislativa, em São Paulo, participando do Parlamento Jovem 2015, que neste ano fez uma edição comemorativa aos 180 anos da Assembleia.

Nesta edição comemorativa, tomaram posse 34 deputados jovens – seriam 36, número de parlamentares do Legislativo da então província, entretanto duas jovens inscritas não puderam participar.

Os deputados jovens eleitos representaram cinco partidos: Partido das Questões Sociais, com quatro parlamentares; Partido da Educação e Cultura, 11 membros; Partido da Infraestrutura e das Finanças, sete integrantes; Partido da Natureza, dez deputados; e Partido da Saúde, quatro.

Educadores são homenageados

O início do Parlamento Jovem 2015 foi marcado por agradecimentos e animação dos deputados jovens. A abertura do primeiro dia de atividades teve agradecimento da coordenadora do Parlamento Jovem, Sônia Hernandes: "Muito obrigada! O esforço de vocês, educadores, não é em vão. O futuro vai dizer isso", declarou.

Participaram os jovens Lígia Rodrigues, Partido da Educação e Cultura, da EE Manoel dos Santos, de Magda, acompanhada da professora Edineia Cardoso; Ronaldo Machado, Partido da Educação e Cultura, da EE Porfírio Pimentel, de Macaubal, com a professora Célia Scatolini; Gabriel Bergamasco, Partido da Educação e Cultura, da EE Pedro Pedrosa, de Nhandeara, com o professor Luciano Facco.

Uma das placas, foi entregue ao Professor Luciano Facco (que acompanhou o aluno no evento) pelo Deputado Itamar Borges. A placa é uma homenagem à Escola Pedro Pedrosa pelo trabalho feito nestes 17 anos de existência do Parlamento Jovem Paulista. As outras 35 escolas que participaram do evento também foram homenageadas.

As escolas da região sentem-se orgulhosas pelas participações de seus alunos e também pela homenagem recebida, ao mesmo tempo que estão conscientes de suas obrigações de continuar contribuindo para a formação de jovens cada vez mais conscientes e críticos.

Fotos: Marco Cardelino

Os Projetos de Leis da região

Nhandeara
Gabriel Bergamasco - Preparação de docentes

A criação de Centros de Preparação de Docentes nos municípios da província de São Paulo, a partir de 1836, é o objetivo do Projeto de Lei 5/1835, apresentado por Gabriel Bergamasco (E. E. Pedro Pedrosa, de Nhandeara), do Partido da Educação e Cultura.

O PL prevê ainda a criação de comissões específicas para a escolha dos professores que ministrarão as aulas nos CPDs, e também para a manutenção dos prédios que servirão de local para os cursos.

O parlamentar entende que é dever do legislador garantir boa formação escolar às crianças e jovens, através do preparo de seus professores. Para ele, "a educação é, sem dúvida, um dos meios principais para a consolidação de uma sociedade moderna e, ao mesmo tempo, justa e menos desigual. Contudo, será impossível um sistema educacional de qualidade sem que haja a adequada formação de docentes".



Magda
Lígia Rodrigues - Fim do analfabetismo

"Combater o analfabetismo e a baixa qualidade da educação exige compromisso, competência e vontade política da parte dos governantes", observou a deputada jovem Lígia Rodrigues (E. E. Manaoel dos Santos, de Magda). Eleita pelo Partido da Educação e Cultura, ela apresentou o Projeto de Lei 8/1835, que cria o programa Universalização da Alfabetização.

Segundo o projeto, o programa deverá, entre outras medidas, tornar o ensino obrigatório e garantir a alfabetização plena de todas as crianças, sem manter cursos diferenciados para meninos e meninas; possibilitar a instrução de primeiras letras aos moradores dos lugares distantes, isolados e inóspitos; incluir no processo educacional negros e indígenas, superando as desigualdades e cultivando o respeito às diversidades, com ênfase na promoção da cidadania; e assegurar a criação de bibliotecas públicas.

"Estamos diante de uma sociedade escravagista, autoritária e formada para atender a uma minoria encarregada do controle sobre as novas gerações. Alfabetizar e assegurar o acesso ao ensino fundamental são iniciativas que estão muito além das questões específicas da educação. São fundamentalmente ações de política social, para que não se amplie o contingente de excluídos", concluiu Lígia.


Macaubal
Ronaldo Machado - Combate à exclusão cultural

O deputado jovem Ronaldo Machado (E. E. Porfírio Pimentel, de Macaubal), do Partido da Educação e Cultura, propõe, através do Projeto de Lei 11/1835, a implantação do programa A Cultura vai aos Municípios, cujo objetivo é a realização de eventos culturais nos municípios da província de São Paulo, como forma de combate à exclusão cultural, social e intelectual presentes no Brasil Colônia e no Brasil Império.

O programa deve ser gerido pelos poderes executivos, estadual e municipais, e promoverá eventos culturais em todos os municípios da província, tais como exposições artísticas itinerantes, apresentações de peças de teatro, apresentações musicais e espetáculos de dança.

O projeto foi elaborado tendo em vista que entretenimento e cultura são fundamentais para a formação de um cidadão e pretende abranger a população de todas as classes sociais, principalmente as menos favorecidas economicamente, que foram excluídas do contexto cultural desde a colonização.

Galeria de fotos